Patologias

Epicondilite

Sobre

O que é um epicôndilo?

Epicôndilos são estruturas anatômicas pertencentes à face interna e externa dos cotovelos. Na verdade trata-se de proeminências ósseas que conseguimos palpar mais facilmente na face interna que na face externa da articulação. Os epicôndilos são pontos de origem da musculatura que flexiona e estende o punho. 

O que é epicondilite? 

A epicondilite se caracteriza por ser um processo degenerativo dos epicôndilos. O epicôndilo interno (medial) é responsável pela origem da musculatura que flete o punho e prona o antebraço ( gira em sentido anti-horário) . Por outro lado, o epicôndilo lateral configura o local de origem da musculatura que estende o punho e supina o antebraço (gira em sentido horário).

A epicondilite se instala quando há uma demanda excessiva dos movimentos acima mencionados. Assim, pacientes que realizaram repetidamente flexão do punho e/ou pronação do punho poderão desenvolver dor e hipersensibilidade da face interna do cotovelo. Por outro lado, pacientes que realizaram de forma repetida ou forçosa movimentos de extensão do punho e supinação do antebraço poderão ser acometidos com a mesma sintomatologia no lado externo do cotovelo. 

Quais são os principais sintomas?

Dor na face interna ou externa do cotovelo ao dirigir, segurar uma bolsa, manipular talheres, se vestir... ou mesmo em total repouso; desta forma a dor configura como o sintoma mais importante desta patologia. Atividades esportivas como jogar tênis ou golfe, são condições que acabaram por cunhar as terminologias tão usadas na literatura – cotovelo de tenista e cotovelo de golfista. Poderá haver sintomas flogísticos como aumento de temperatura, área local circunscrita de hipersensibilidade e surgimento de uma proeminência óssea anormal, bem visível e palpável na face lateral do cotovelo.

Como se trata esta condição?    

O tratamento inicial é quase sempre é conservador, sendo realizado com administração de anti-inflamatórios orais, infiltração locais de corticoide, splints que imobilizam o punho e dedos acompanhados de tratamento fisioterápico. 

O tratamento cirúrgico se impõe quando o tratamento conservador fracassa, dentre os critérios utilizados para submeter o paciente a procedimentos cirúrgicos assinalamos três condições: três episódios de infiltração superior e inferior a um ano, presença de sinovite intra-articular, calcificação ou exostose óssea e a mais importante - perda da qualidade de vida do paciente.