Patologias

Síndrome do Túnel do Carpo (STC)

Sobre

O que significa o termo “o túnel do carpo”?
Este é um túnel localizado profundamente na face anterior do punho, em uma região chamada de carpo que todos nós temos, passam em seu interior  muitas estruturas, das quais a mais importante é o nervo mediano.

Porque o nome síndrome do túnel do carpo?
Como o próprio nome diz, algumas pessoas começam a desenvolver uma síndrome deste túnel, que se caracteriza pelo aumento da pressão em seu interior , com isto o nervo sofre, entra em progressiva degeneração e ocasiona inúmeros sintomas.

Como se desenvolve?
A síndrome do túnel do carpo é uma doença comum em pessoas que trabalham com movimentos repetidos, mas também tem associação com alterações hormonais como menopausa e gravidez, o que explica a maior incidência em mulheres na faixa de 35 a 60 anos. Outras doenças associadas são Diabetes Mellitus, artrite reumatoide e doenças da tireoide.

Quais são os sintomas?
No início o paciente sente uma dor indefinida “na munheca”, acha que machucou o punho ou dormiu de mau jeito. A seguir os sintomas pioram e surgem as “dormências e formigamentos nas mãos”, principalmente à noite. Alguns pacientes acordam no meio da noite e esfregam as mãos, batem palmas, tentam aquecê-las na tentativa de obter melhora dos sintomas. Nos estágios mais graves há uma diminuição da força, alguns objetos podem cair das mãos e eventualmente há uma sensação de “choque repentino”.

Como devo proceder, a quem devo procurar?
O cirurgião de mão é o especialista mais capacitado a diagnosticar e avaliar o grau de gravidade através de um exame clínico minucioso, onde se realiza um teste idealizado e popularizado pelo Dr. Phalen, denominado de teste de Phalen, dentre outros. A eletroneuromiografia consiste em um exame imprescindível para fechar o diagnóstico e orientar no planejamento terapêutico mais adequado a cada caso em particular.

Como é o tratamento?
Nos casos iniciais e pouco sintomáticos se institui o tratamento clínico (sem cirurgia), porém nos casos mais graves é absolutamente necessário ponderar com o especialista a necessidade de uma mini cirurgia. A doença traz sequelas que podem ser evitadas com o tratamento adequado.